Blog

Feitio de xarope e meditação

No final de agosto, o Grupo Buda e a professora Moiara deram continuidade ao projeto “Tenda da Floresta” junto com o professor Mateus. Estiveram no refeitório fazendo o feitio de xarope de cúrcuma com mel. A cúrcuma foi plantada por eles em 2016 e colhida pelos colegas do Grupo Lótus.

WhatsApp Image 2017-09-13 at 10.20.39.jpeg WhatsApp Image 2017-09-13 at 10.20.36.jpeg

Enquanto uns faziam o xarope, outros selecionavam os grãos de pimenta rosa que foram coletados pelas crianças no primeiro semestre. Um trabalho meditativo junto com a professora Amanda.

WhatsApp Image 2017-09-13 at 10.22.09.jpeg WhatsApp Image 2017-09-13 at 10.20.40.jpeg

 

Anúncios

Primavera tão linda já está chegando!

Passeio da tarde do maternal com as profs Cíntia e Josi – brincar nas árvores, comer nêsperas do pé, catar painas e assoprar os algodõezinhos pelo ar…

E depois do passeio, que é a máxima expansão da tarde, de volta à sala e à contração – brincando com os amigos “fofurinhos” (pequenas peças de madeira envoltas em feltro que representam a família).

WhatsApp Image 2017-09-05 at 19.24.37.jpeg  photo5026332430906271672.jpg

 

 

Dissertação de mestrado sobre a ECM :)

Hoje compartilhamos, em uma roda de conversa, os resultados do estudo da dissertação de mestrado com a temática sustentabilidade na escola com Elenice de Freitas Sais.
Os resultados apontados pela vivência educativa na Escola Caminho do Meio mostram-se em consonância com as contemporâneas práticas transformadoras em educação. A escola busca educar imersa numa cultura de sustentabilidade, através da observação dos processos naturais da vida, que ocorrem nas relações entre o homem e a natureza e também na relação entre as pessoas. A sustentabilidade pulsa por todos os espaços da escola, que educa as crianças na sustentabilidade.

WhatsApp Image 2017-09-04 at 14.05.56

Educação Física e Bambu?!

“Promovemos a interação do corpo com as esculturas de bambu, que é um meio de reinventar os corpos, com intensão de proporcionar um caminho corpóreo-educacional para autonomia no autoconhecimento, sensibilizando com afeto, encantamento e ação.
Estamos estimulando o ato de compartilhar, o estímulo de aprendizagem acontece na socialização, qualquer criança tem a possibilidade de inspirar movimentos e sua pesquisa corporal com o grupo.
Esse tipo de “cenário” estimula a acuidade corporal, conhecimento a partir da atenção à sensação. A decisão tomada pelo indivíduo acontece de acordo com seu grau de autoconfiança e disponibilidade. O foco e a atenção por estar suspenso sem cabos de segurança é um grande desafio e exige foco e atenção, uma meditação em movimento.”

Nos conta o professor de Educação Física, Kauê, que proporcionou às crianças essa diferente e maravilhosa experiência!

WhatsApp Image 2017-08-31 at 16.45.41.jpeg

 WhatsApp Image 2017-08-31 at 16.45.56.jpeg  WhatsApp Image 2017-08-31 at 16.46.02 (1).jpeg

 WhatsApp Image 2017-08-31 at 16.46.00.jpeg  WhatsApp Image 2017-08-31 at 16.46.02.jpeg

WhatsApp Image 2017-08-31 at 16.45.40.jpeg

Roda de conversa sobre sustentabilidade na escola

Elenice de Freitas Sais defendeu uma dissertação de mestrado sobre a Escola Caminho do Meio e estará presente para uma roda de conversa sobre os resultados. Vai ser no próximo sábado, das 8h30 às 10h, na Escola Caminho do Meio. Vagas são limitadas. Inscrições aqui.

Abaixo, título e resumo da dissertação,

 

SUSTENTABILIDADE NA ESCOLA CAMINHO DO MEIO.
UMA EXPERIÊNCIA NO SUL DO BRASIL.

RESUMO

O presente estudo refere-se a uma pesquisa de campo, de natureza qualitativa e exploratória, sendo um   estudo de caso, realizado na Escola Caminho do Meio em Viamão, Rio Grande do Sul, Brasil. Foram utilizados como instrumentos para a coleta de dados, entrevistas com a equipe pedagógica da escola e o idealizador da escola, imersão e observação participante, uso de registros fotográficos para melhor ilustrar o campo de estudo e suas atividades. Tem como objetivo compreender as contribuições da proposta pedagógica da Escola Caminho do Meio a uma educação e sociedade mais sustentáveis. Como resultados encontrou-se que a escola apresenta um modelo transdisciplinar em educação, que através da Pedagogia da Mandala, articula a cada bimestre do ano letivo, as cinco sabedorias budistas, com o princípios norteadores, as estações do ano e os elementos da natureza. Tem como princípio ou eixo norteador mais importante na sua prática pedagógica a sustentabilidade que está relacionada a sabedoria da causalidade, que vem ensinar sobre nossas ações e suas reações. A visão de sustentabilidade apontada pela escola, aparece quando esta busca educar de forma integral a criança, compreendendo a existência da inseparatividade do mundo interno e externo, do dentro e do fora. A escola busca educar imersa numa cultura de sustentabilidade, através da observação dos processos naturais da vida, que ocorrem nas relações entre o homem e a natureza e também na relação entre as pessoas. Outra contribuição na discussão da sustentabilidade é que a escola busca apoiar-se na visão dos povos tradicionais, principalmente os indígenas, por considerar que estes, tem um olhar mais conectado com a Terra, historicamente viveram em equilíbrio e de forma harmoniosa e respeitosa com a natureza.

 

Colheita

“Deixar-se levar pelo desejo da Natureza, […] observar para que lado flui este rio sem começo nem fim. Ir contra esse fluxo levará à desarmonia e frustrações. O segredo é soltar-se nesta correnteza, pois ela sabe o que é melhor para nós.” – Hiroshi Seó

As crianças dos Grupos Buda e Lótus colheram cúrcuma, batata e “salvaram” muitas minhocas.

As crianças contam em detalhes como foi essa experiência no blog do Grupo Lótus, com material produzido por eles mesmos.   Clique aqui para espiar.

Vídeo produzido pelas crianças do Grupo Lótus:

Culinária

“Cozinhar é uma operação alquímica cujo objetivo é transformar a fantasia em realidade […] para isso transformações profundas têm de acontecer”.  Rubem Alves

Toda sexta-feira é dia de culinária no Grupo Vajra, momento em que “sabedoria” e “sabor” se misturam. Dizem que essas duas palavras já nasceram misturadas: no latim, “sapio” significa “saboreio” e “sapientia” quer dizer algo como “conhecer a vida pela boca”. 

As crianças preparam seu próprio lanche e, ao fim do dia, entregam para suas famílias uma delícia feita com suas mãozinhas. Já teve pão de milho, bolo de aipim e amanhã elas farão pão de batata.