O fogo é um elemento natural que sempre despertou fascínio nas comunidades humanas. É possível localizar a tradição de acender lanternas para celebrar em diversas culturas. No Brasil, localizamos no período junino a prática de acender fogueiras e balões, práticas comuns em várias partes do mundo. Na China, o festival das lanternas marca o final da celebração do ano novo em seu calendário lunar. Na Alemanha, a festa da
lanterna, ou noite das lanternas é realizada anualmente sempre no início do inverno. Essa festividade típica alemã, chamada Laternenfest, está tradicionalmente relacionada com história de um santo, São Martinho, que “tirou parte de sua roupa para abrigar do frio um semelhante desprovido”. Como conta a tradição, o santo estaria seguindo por uma floresta guiado apenas pela luz de uma lanterna, quando encontrou o outro homem. Assim a lanterna passou a simbolizar, além da luz que guia, o calor que aquece no inverno, e também a bondade e generosidade com o outro. No Brasil, a festa da Lanterna é celebrada por escolas alemãs, incluindo as escolas Waldorf, que tem sua origem nesse país.

Na Escola Caminho do Meio, vivenciamos no inverno a sabedoria do Buda Vermelho, durante o inverno. Essa sabedoria está relacionada à lucidez (luz), à capacidade de discernir, à clareza que surge da observação atenta, silenciosa, da realidade. Ela também é associada ao elemento fogo, e sua capacidade de elucidar, clarear, iluminar. Por esses elementos, a equipe da Escola Caminho do Meio considerou que a festa da lanterna poderia trazer um simbolismo muito rico para as crianças neste período do ano, em que a luz é capaz de aquecer e mostrar o caminho. A história da Menina da Lanterna, contada neste período, representa a busca dessa luz como símbolo da sabedoria interna, que quando encontrada, pode ser compartilhada com aqueles que encontramos pelo caminho. Na Festa da Lanterna vivenciaremos juntos essa história e essa simbologia, acendendo ao final as lanternas de todos e oferecendo às crianças essa marca como um elemento positivo para sua imaginação.

(Carol Senna)

Mais sobre a Festa da Lanterna na ECM