Informativo | Março-Abril 2012 | Sabedoria do Espelho

Informativo Escola Caminho do Meio

Março-Abril 2012

Sabedoria do Espelho

Acolhimento – a prática de abrir-se para o outro

Na Escola Infantil Caminho do Meio, o bimestre março-abril foi dedicado ao acolhimento. Mudanças, adaptações, novos papeis, novas necessidades, tudo isso fez parte das atividades de crianças, professores e colaboradores. Esta sabedoria significa acolher a aparência do que surge, tanto interna quanto externamente. É como um espelho que acolhe todas as imagens e não se prende a nenhuma, acolher seja o que for, do jeito que for, sem arestas, sem restrições, de forma aberta e lúcida; também é abrir-se ao outro sem julgá-lo, ouvindo-o, percebendo-o em seu mundo, interagindo e acolhendo suas necessidades; é olhar para o outro e oferecer aquilo que faz sentido dentro de seu mundo, aquilo que ele é capaz de entender. Não ficamos obstaculizados frente às negatividades e nem as personificamos na imagem do outro, mas nos tornamos capazes de ajudá-lo a entender as liberdades de que ele mesmo dispõe, embora talvez não as veja.

Foi necessário acolher, por exemplo, os novos professores e alunos que ingressaram na escola, as mudanças que mexeram com os vínculos já existentes. A professora Maria Luísa percebeu uma certa ansiedade na Ênfase III (até 6 anos) e entendeu que a turma ainda tinha uma forte expectativa com a volta do antigo professor, Fernando Bilhar, que agora faz parte da direção da escola. “Pedi que ele fosse lá e explicasse que, por causa de um novo trabalho, não poderia mais estar com a turma. Com o tempo, senti que isso os acalmou”, contou ela.

Ricardo, outro professor recém-chegado, conta como trabalhou com as crianças as características desta sabedoria:

“Criamos um personagem chamado Walfrido, o Acolhido. Era um boneco que podia ser puxado de um lado ou de outro. Quando puxado de um jeito, era um menino meio triste, quando puxado de outro, ele saía contente e alegre. Contei que seu problema era ter mudado de bairro e encontrado uma vizinhança onde ninguém queria brincar porque ele chegava um pouco mal-humorado. Walfrido então muda de atitude: passa a acolher os novos vizinhos e começa também a ser acolhido”, descreve.

Meninos e Bonecas

Outro momento divertido – e também importante – foi o de compartilhar brinquedos. Algumas crianças tiveram dificuldades em deixar que as outras tocassem e experimentassem suas preciosidades. Neste ponto, não foi feita qualquer diferença de gênero – os meninos brincaram naturalmente com as bonecas – um ponto positivo, na opinião da diretora Fabiane Rocha. “Não há qualquer problema se um garoto gostar de brincar com panelas, bonecas e outros brinquedos das meninas; isto simula a rotina de cuidar de um bebê e esses garotos poderão ser pais, algum dia”, explica ela.

Para o professor Geferson Vargas, da Ênfase II, o primeiro bimestre sempre é um momento de exercitar a aceitação e a abertura. “Tentei dar nascimento às crianças de forma igual, sem fixar defeitos ou qualidades. Em março, houve o período de adaptação, os alunos ainda se conhecendo, mas em abril percebi que a turma foi ganhando unidade. Um dos alunos novos ainda está com dificuldade de acompanhar o ritmo e tende a ficar um pouco isolado, mas isso vai sendo trabalhado aos poucos”.

Para participar da mandala que sustenta a Escola Infantil Caminho do Meio, acesse o link: http://www.mandalaescola.org/participe .

Edição de Conteúdo: Carmen Navas Zamora
Arte: Guilherme Erhardt

.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s